SELLERINK BLOG
27mar/12

METALGRAFIA

Fonte: Abeaço
Tomate em lata dispensa o uso de conservantes
químicos e possui 3x mais licopeno que o in
natura
Ingrediente fundamental na pizza e inquestionável em  uma boa
macarronada, o tomate é um importante alimento na vida das pessoas.
Além de ser rico em licopeno, substância que combate os radicais livres,
retarda o envelhecimento e atua na prevenção do câncer, pesquisas
mostram que o tomate pode ser aliado no combate a resfriados e no
aumento da imunidade.
Para os apreciadores do alimento, a Abeaço (Associação Brasileira de
Embalagens de Aço) traz uma boa notícia: “os tomates enlatados
possuem 3 vezes mais licopeno que os tomates frescos, além de
dispensarem  o uso de conservantes químicos e durarem mais tempo
que os tomates in natura. O tomate em lata ainda preserva a vitamina C
presente no alimento, pois a embalagem de aço o protege da ação da
luz”, garante Thais Fagury, engenheira de alimentos da Abeaço.
A ABEAÇO - Associação Brasileira de Embalagem de Aço  -foi criada em
maio de 2003 para fortalecer o mercado de embalagem de aço e dar
suporte técnico e mercadológico a seus fabricantes. A entidade busca
aproximar interesses de toda a cadeia produtiva para desenvolver
soluções, produtos e negócios para os seus associados, no Brasil e no
exterior.

Desde sua fundação, a Sellerink pesquisa, desenvolve, produz e customiza produtos voltados a indústria Metalgráfica.

Além de ser uma importante unidade de negócios para a Sellerink, a família de produtos para Metalgrafia nos dá  muito mais que retorno comercial. Trata-se de um setor com constantes desafios, pois emprega tecnologia de ponta na produção de latas em benefício do ser humano. Precisa de fonte mais motivante?

canned_foodA lata de aço é a melhor embalagem para diversos produtos, mas vamos nos ater um pouco mais sobre os alimentos. Alimentos enlatados são tão bons, que em muitos casos, tornam-se melhores ainda que os alimentos in-natura. Isto porque a lata de aço os protege e permite um processamento eficiente e higiênico, com longo prazo de validade.

A Sellerink tem uma completa família de produtos para Metalgrafia, produtos estes que atendem a todas as exigência do mercado de alimentos, com certificações internacionais e laudos dos mais renomados laboratórios. Tudo isso para fazer parte da embalagem que permite o armazenamento, transporte e conservação de alimentos com toda segurança e praticidade, há mais de 200 anos.

Tomate em lata dispensa o uso de conservantes químicos e possui 3x mais licopeno que o in natura

Ingrediente fundamental na pizza e inquestionável em  uma boa macarronada, o tomate é um importante alimento na vida das pessoas.

DSC008081Além de ser rico em licopeno, substância que combate os radicais livres, retarda o envelhecimento e atua na prevenção do câncer, pesquisas mostram que o tomate pode ser aliado no combate a resfriados e no aumento da imunidade.

Para os apreciadores do alimento, a Abeaço (Associação Brasileira de Embalagens de Aço) traz uma boa notícia: “os tomates enlatados possuem 3 vezes mais licopeno que os tomates frescos, além de dispensarem  o uso de conservantes químicos e durarem mais tempo que os tomates in natura. O tomate em lata ainda preserva a vitamina C presente no alimento, pois a embalagem de aço o protege da ação da luz.

Feijoada em lata é quase 30% menos calórica que a caseira

Com menos gordura, a iguaria enlatada apresenta grandes benefícios

Mais tradicional prato brasileiro, a feijoada, além de muito saborosa, é normalmente sinônimo de calorias e gordura. Para apreciadores da iguaria preocupados com a saúde, uma ótima notícia: a feijoada enlatada tem quase 30% menos calorias que a preparada em casa.

Enquanto 100 gramas da feijoada caseira possui 152 calorias, a mesma medida da enlatada tem apenas 108.

feijoadaE os benefícios não param por aí. A quantidade da vilã gordura saturada é 58% menor na lata (cerca de 2,5g/100g de feijoada, contra 6g na versão caseira). O temido colesterol aparece com 17mg/100g de feijoada na versão enlatada, enquanto que na caseira são 30mg, representando uma redução de 43%.

A feijoada em lata ainda tem um teor de fibras mais alto, de cerca de 3,5g/100g, sendo que na caseira o teor é de apenas 1,5g/100g.

Tudo isso graças à diferença do processo de preparação do prato. “Para preparar a feijoada caseira, por exemplo, é utilizado óleo, para fritar alguns conteúdos. Para a preparação na lata, todos os ingredientes são colocados crus dentro dela. Depois de ser hermeticamente fechada, ela é levada a fornos em alta temperatura, e o processo de cozimento acontece como se fosse uma panela de pressão”, afirma Thais Fagury, engenheira de alimentos da Abeaço. Os nutrientes e vitaminas são, então, preservados com os alimentos na lata, não sendo dissipados no ambiente.

.
logo_abeacoA ABEAÇO - Associação Brasileira de Embalagem de Aço  -foi criada em maio de 2003 para fortalecer o mercado de embalagem de aço e dar suporte técnico e mercadológico a seus fabricantes. A entidade busca aproximar interesses de toda a cadeia produtiva para desenvolver soluções, produtos e negócios para os seus associados, no Brasil e no exterior.
.
Sellerink apóia todas as ações da Abeaço.

.

Se você gostou, veja também...

Eco Friendly Printing (Post 10) on September 22nd, 2010

Eco Friendly Printing (Post 4) on July 27th, 2010

Tintas e Impressos de Segurança (Post V) on June 16th, 2010

Metalgrafia (Post 2) on August 17th, 2010

FLORESTAS PLANTADAS on February 3rd, 2011

17nov/11

A verdade sobre o alimento enlatado !

Fonte: Abeaço


Mitos e verdades: alimento enlatado causa botulismo?

latas_de_aco_mitos_e_verdades_1Mesmo com um processo eficiente e de alta tecnologia, ainda existem alguns mitos sobre alimentos enlatados serem prejudiciais à saúde, principalmente no que se refere à bactérias como a causadora do botulismo.

Todo cuidado com o envase e o acompanhamento dos alimentos enlatados na linha de produção faz com que as principais vantagens desses alimentos em relação às outras embalagens sejam apresentar um tempo de validade acima da média normal, redução do custo com embalagem secundárias, como caixas; e melhor proteção para o produto final. A lata de aço permite um processamento térmico em maiores temperaturas, assegura alto vácuo, tem elevada resistência mecânica, é inviolável e não necessita de adição de nenhum conservante químico. Portanto, ela mantém os alimentos por longos períodos sem alterar suas características.

O processo

O alimento é colhido na fazenda e depois é armazenado. Na armazenagem, o alimento é selecionado, lavado, descascado e cortado. Depois, passa pela auto-clave onde é cozido e resfriado dentro da lata. Após ser embalada, a lata é destinada para a distribuição.

Da distribuição é direcionada para os supermercados. Dos supermercados, por fim, vai para a mesa do consumidor.

Então, essa questão do botulismo causado por alimentos enlatados é um mito completamente infundado, pois conforme profissionais do setor, o envase na lata precisa seguir todas as normas de higiene e saúde alimentar.

sardinhaAlém disso, informações do Ministério da Saúde confirmam que os enlatados são as opções que menos causam problemas alimentares. Entre 1999 e 2009 foram registrados 152 casos suspeitos de botulismo no País, dos quais 60 foram confirmados, sendo 58 deles de botulismo alimentar.

Os alimentos mais envolvidos são as conservas vegetais artesanais, os produtos cárneos cozidos, os curados e os defumados de forma artesanal, queijos e pastas de queijos. Dos casos de botulismo alimentar confirmados, apenas um terço está relacionado às conservas industrializadas, sendo 65% deles causados por conservas caseiras ou produtos de padarias e restaurantes. É importante ressaltar que as conservas artesanais nunca são embaladas em lata de aço, pois o aço requer processo industrial sofisticado.

Mas todos sabem que o consumo de produtos fora do prazo de validade não é recomendável. Em produtos vencidos podem ocorrer perdas ou alterações de sabor do produto e reações químicas indesejáveis, que podem trazer algum dano à saúde do consumidor. Por isso, as empresas buscam armazenar e estocar os alimentos enlatados em locais secos, frescos e arejados.

As latas de aço vêm conquistando cada vez mais espaço no mercado de alimentos por iniciativas para assegurar características próprias para consumo, pela qualidade, segurança, imagem em prateleira e isolamento.

Hoje, o envase dos alimentos em lata garante a naturalidade e resistência, sendo fonte de saúde.

Se você gostou, veja também...

Eco Friendly Printing (Post 3) on July 21st, 2010

Homens e Mulheres enxergam de maneiras diferentes on September 16th, 2012

A História da Indústria Gráfica (Post 16) on September 21st, 2010

SPECTRODENSITOMETRIA on November 16th, 2011

A História da Indústria Gráfica (Post 21) on January 17th, 2011

8fev/11

COMO AS LATAS SÃO ENVASADAS?

.

PROCESSO ALTAMENTE CONFIÁVEL E SEGURO

Fonte de Pesquisa: Abeaço

A velocidade do envase dos produtos é super importante para a indústria. É ela que garante parte da qualidade nutricional dos alimentos enlatados. Frutas e vegetais, por exemplo, são colhidos e levados rapidamente aos envasadores, produtores de alimentos processados, para o enlatamento que garantirá a preservação dos nutrientes.

cans_canned_food_266921_lAs frutas e vegetais são lavados com jatos de água, selecionados, descascados e separados das sementes ou caroços, cortados ou fatiados e despejados nas latas vazias que vão passando por correias transportadoras. Líquido apropriado, água, xarope, suco de fruta ou qualquer outro de cobertura adequado ao produto, é colocado para conservação do enlatado. Esse líquido é natural, não contendo qualquer aditivo químico.

A tampa então é colocada na lata e recravada, fechando-a hermeticamente, isso ocorre antes mesmo do cozimento do alimento, que é feito dentro da própria lata, ponto crucial de todo o processamento. As latas fechadas são então postas dentro de grandes "panelas", chamadas de autoclaves, que as aquecem até a temperatura ideal de processo e aplicam pressão correta para o preparo desses alimentos. Neste estágio, as latas já estão impressas, então, calculem o quanto de tecnologia existe nas tintas Sellerink Metalgráficas para suportar a temperatura e pressão durante o processo de autoclavagem. Por causa do fechamento hermético antes da autoclavagem, todos os microorganismos são mortos ou inativados pelo calor, resultado disso é que os alimentos enlatados são super seguros não representando risco algum de contaminação, praticamente estéreis. Isso significa também que até a abertura da lata os alimentos se mantêm frescos.

O alimento enlatado é geralmente mais saudável e nutritivo que o alimento in natura. Isso ocorre porque ele tem um tempo de exposição com o meio ambiente muito menor que o alimento in natura, assim que é lavado e cortado, rapidamente, é enlatado.

Peguemos como exemplo uma cenoura in natura, ela primeiro é colhida, levada do campo até armazéns, depois até o centro de distribuição, do centro de distribuição até o supermercado ou feira e só então chega aos lares dos consumidores, e ainda pode ficar um bom tempo em uma cesta ou geladeira e só depois preparada, ou seja, nesse processo uma boa parte dos nutrientes acabam se perdendo. O enlatado, por outro lado, não tem esse tempo grande de espera até ser processado o que garante um alimento mais saudável e nutritivo. No caso da cenoura, a cenoura enlatada possui muito mais vitamina C do que a cenoura in natura que passou por todo o processo até chegar a casa do consumidor.

canned-tomatos-fbNenhum aditivo químico é necessário ao alimento enlatado, isso porque o que garante a sua conservação são o aquecimento a altas temperaturas durante o processamento, a ausência de ar e a não incidência da luz nos alimentos.

As latas são resistentes e super seguras. É muito difícil violar uma lata, por isso o consumidor sempre terá a certeza de que estará comprando um produto seguro, saudável, impossível de ser adulterado ou falsificado.

Os alimentos enlatados possuem vida de prateleira bastante prolongada, geralmente duram dois anos e quando falamos em carnes ou peixes enlatados essa validade é estendida podendo chegar a cinco anos.

A Sellerink participa ativamente desta cadeia produtiva, fornecendo tintas para impressão das latas, com alta tecnologia e segurança, atendendo todas as rigorosas normas nacionais e internacionais quanto a tintas de impressão para embalagens de alimentos.

.

Se você gostou, veja também...

Controle da Cor X on November 16th, 2011

A HISTÓRIA DA INDÚSTRIA GRÁFICA (POST 23) on February 9th, 2011

METALGRAFIA - ALIMENTOS ENLATADOS on May 11th, 2011

Controle da Cor VI on November 16th, 2011

Tintas e Impressos de Segurança (Post VI) on July 6th, 2010

10jan/11

Metalgrafia (Post 8)

.

Como os produtos vão parar na lata?

Fonte: Abeaço

Procedimentos realizados com tecnologia de ponta, profissionais altamente treinados e elevados padrões de qualidade garantem eficiência, segurança e saúde de aço para todos os consumidores

Que os alimentos enlatados fazem bem para a saúde e são ótimas opções para consumo por preservar vitaminas e nutrientes em níveis superiores até aos in natura não é nenhuma novidade.

Mas você sabe como os alimentos são enlatados? A quais processos são submetidos?

Vamos falar um pouco sobre isso hoje,  na continuação da nossa série METALGRAFIA.

O processo de envase das latas de aço é complexo, utiliza avançadas normas de segurança e higiene, capazes de fazer com que os consumidores não tenham risco algum de contaminação.

O enlatamento é feito por companhias com maquinário de ponta, profissionais altamente treinados e padrões de qualidade altíssimos.

Mas a dúvida persiste: como os produtos vão parar na lata?

zapataart1De acordo com Rogério Silveira Cintra, gerente de qualidade da Brasfrigo, empresa especializada no enlatamento dos legumes das marcas Jurema e Jussara, todo o processo começa com uma seleção cuidadosa e rigorosa da matéria-prima. “A lavagem e a seleção removem qualquer sujeira que possa estar na matéria-prima. Em seguida vem o tratamento térmico, que é a utilização de altas temperaturas seguidas de resfriamento rápido, procedimento responsável por preservar os alimentos envasados e eliminar a carga microbiana, aumentando o tempo de vida útil do alimento. Os vegetais enlatados, por exemplo, são submetidos a temperaturas superiores a 120 graus Celsius. Depois do aquecimento tem-se o resfriamento com água fria”. O processo de aquecimento é feito através de autoclaves que garantem a esterilização do alimento e a preservação de todos os nutrientes.

Já no envase de aerossóis, o sistema é iniciado com a mistura nos tanques de formulação. Após essa mistura, uma amostra é retirada e o produto é analisado em laboratório para confirmação dos parâmetros de qualidade.

Dentro das especificações técnicas, o produto é transferido para o tanque pulmão, que alimenta a máquina de envase. Então é dosada a quantidade de produto que vai em cada lata, a válvula é cravada, a dose de propelente é estabelecida e é iniciado o processo de banho de prova. Por fim, as latas são encaixotadas para distribuição.

enlatadosO envase varia de produto para produto como é o caso das tradicionais sardinhas enlatadas, estrelas deste segmento na mesa dos brasileiros. Na Gomes da Costa, uma das principais companhias do setor, o enlatamento do pescado funciona da seguinte maneira: os peixes são recebidos, limpos e enlatados; é adicionado o líquido de cobertura que garante a preservação do peixe por um longo período, esse líquido pode ser água e sal, óleo ou molho de tomate, dependendo do apelo final do produto; logo após, ocorre o processo de recravação da embalagem, na qual a tampa é unida ao corpo da lata; em seguida vem as fases de esterilização, que garante a manutenção de todas as vitaminas e proteínas sem qualquer aditivo ou conservante químico; resfriamento, embalagem, quarentena e expedição.

Para o gerente industrial da companhia, Adão Pereira de Sá, os cuidados que a empresa adota para este processo são muitos, principalmente os ligados às exigência do SIF, o Serviço de Inspeção Federal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil. “Eles também estão associados à qualidade da matéria-prima, o pescado; dos insumos, óleos, azeites e molhos; controle do processo de limpeza dos pescados; controle do processamento térmico para assegurar a esterilização e um rigoroso controle de qualidade das latas”, enumera.

Já no caso de grãos como castanha de caju, castanha do Pará, amêndoas e pistaches, conforme João Romcy, diretor de Marketing e Vendas da Iracema – o importante é ter um controle total do processo. “Temos quatro plantas de produção, sendo três destinadas exclusivamente para enlatamento de amêndoas de castanha de caju cruas. Esta área foi projetada e construída de maneira a estar protegida de eventuais contaminações pelo zoneamento, ou seja, a separação da área em que se processa matéria-prima crua da área de processo do produto final pronto para consumo”, relata.

“As conservas, de um modo geral, têm alto grau de exigência para assegurar envases de produtos que mantenham suas propriedades por longo tempo. Os cuidados especiais são vários e estão associados à qualidade da matéria-prima, qualidade dos insumos como óleos, azeites e molhos; controle do processo de limpeza, rigoroso controle do processamento térmico para assegurar esterilização e rigoroso controle de qualidade das latas, complementa Rogério Cintra, da BrasFrigo.

canned_foodAlém dos procedimentos padrões, a empresa afirma seguir à risca as determinações legais do segmento, bem como implantar um rígido controle de pragas, manutenções preventivas e corretivas em toda a planta de envase. “Para um correto procedimento de envase acarretar o sucesso do recipiente e do produto também é importante ter as recravadeiras sempre ajustadas para garantir um perfeito fechamento da lata e que o produto não tenha nenhum contato com o meio externo”, ressalta.

Armazenamento e transporte

Mas um bom processo de enlatamento não termina no fim da “esteira” da auto-clave. Para o alimento chegar com toda qualidade na mesa do consumidor, as companhias buscam desenvolver padrões de qualidade total em armazenamento e transporte. Para o gerente de qualidade da Brasfrigo, quando armazenada de forma adequada, uma embalagem de vegetais em lata tem vida útil de 30 meses a partir da data de fabricação.

“Após todo esse processo de envase, as latas são manuseadas para os carrinhos que seguem para o autoclave. Este procedimento é feito por profissionais treinados. No transporte também é preciso tomar cuidado com o abastecimento e retirada das caixas dos caminhões para que não tenhamos problema de amassamento. O índice é ínfimo, devido às medidas preventivas, mas quando temos algum amassamento, o produto é retido para atender o padrão estabelecido pela empresa”, afirma Rogério Cintra.

.

Matéria interessante não é? Principalmente para quem vive nos grandes centros urbanos e muitas vezes depende do consumo de vegetais enlatados.

Nos próximos posts em METALGRAFIA vamos falar mais sobre a qualidade dos alimentos enlatados e os cuidados que as empresas tem com a saúde do consumidor final.

A Sellerink, como fornecedora de insumo para a cadeia, toma todos os cuidados no desenvolvimento e produção das tintas que são impressas nas latas. Como vocês perceberam, o processo que a lata passa para que o alimento mantenha suas propriedades é complexo e rigoroso. Imaginem a qualidade da tinta para suportar a alta temperatura do autoclave e o resfriamento seguido, além de todo sistema de logística.

O segmento METALGRÁFICO é um dos pontos mais fortes da Sellerink e os nossos produtos estão em constante pesquisa e aperfeiçoamento.

.

Se você gostou, veja também...

A História da Indústria Gráfica (Post 16) on September 21st, 2010

Eco Friendly Printing (Post 3) on July 21st, 2010

CONTROLE DA COR: POR QUE AS CORES MUDAM? on November 16th, 2011

Controle da Cor V on November 16th, 2011

METALGRAFIA - ALIMENTOS ENLATADOS on September 3rd, 2012

7nov/10

Metalgrafia (Post 7)

Sustentável, lata de aço é sinônimo de ecoeficiência

Fonte: Abeaço

Pesquisas internacionais apontam embalagem como a mais econômica em termos de produção e a que menos impacta o meio ambiente

9964005O caráter sustentável da lata de aço deixou há muito tempo de ser apenas uma possibilidade. Não existe mais dúvida sobre sua posição na escala de preservação do meio ambiente e manutenção da saúde do consumidor na comparação com outras embalagens, como pet, plástico ou alumínio. Pesquisas revelam que o aço inspira confiança em fabricantes de alimentos, consumidores e ambientalistas.

O jornal The New York Times publicou recentemente pesquisa realizada pelo Centro para o Controle e Prevenção de Doenças dos EUA que serve como alerta para consumidores que não se preocupam com os materiais que embalam o que levam para casa. De acordo com o estudo, a substância bisfenol-A, ou BPA, utilizada na fabricação de plástico duro e transparente (policarbonato), pode contaminar líquidos e alimentos envasados neste tipo de embalagem. A pesquisa apontou níveis detectáveis de BPA em 93% das amostras de urina coletadas de mais de 2500 adultos e crianças maiores de seis anos.

Sem precisar de produtos químicos para manter a qualidade dos produtos, a lata de aço é definitivamente a embalagem mais segura para garantir inalteradas as propriedades dos alimentos. Por manter o produto sem contato algum com o ambiente externo, o aço fotolatasfilaimpede que fatores como a entrada de luz interfiram na qualidade da comida enlatada. Mais: além da proteção oferecida ao consumidor, a lata de aço não agride o meio ambiente – em apenas cinco anos a embalagem volta ao seu estado natural de óxido de ferro, sem contaminar o solo. Já as embalagens plásticas afetam não apenas a saúde do consumidor; o processo de degradação das garrafas pet dura cerca de 100 anos. Se desperdiçadas no meio ambiente, infestam rios, lagos e aterros por mais de um século.

Pesquisas internacionais apontam embalagem como a mais econômica em termos de produção e a que menos impacta o meio ambiente

untitledEssas e outras evidências sobre a superioridade do aço já são mais do que conhecidas pela indústria. Levantamento elaborado pela TNO Built Environment and Geosciences e divulgado pela Association of European Producers of Steel for Packaging (Apeal) informa que companhias internacionais do setor de embalagem reconhecem no aço uma das mais confiáveis e eficientes opções de recipientes. Segundo o estudo, realizado na Holanda, a proporção da taxa de falhas apresentadas pelos dispositivos de fechamento das embalagens de aço é de um em um milhão.

Melhor para o consumidor e o meio ambiente, o aço também permite maior produtividade para a indústria. A análise registra que, em termos de velocidade de preenchimento, a latinha ocupa o primeiro lugar. Se for tomado como parâmetro uma lata de sopa de 400 ml, de acordo com a maioria das embalagens produzidas na Europa, em um minuto pode-se preencher 500 latas de aço. No mesmo período, é possível encher 300 embalagens de vidro e de 30 a 400 unidades de plástico rígido.

O objetivo do TNO Report foi comparar o desempenho sustentável de uma série de recipientes. O levantamento levou em consideração o ponto de vista do consumidor e não apenas aspectos econômicos e ambientais, mas também a qualidade dos alimentos, revelada no conteúdo nutricional.

Se você gostou, veja também...

A História da Indústria Gráfica (Post VIII) on July 5th, 2010

Tecnologia on October 12th, 2010

Metalgrafia (post 3) on August 30th, 2010

SOLUÇÃO DE FONTE (POST 1) on February 10th, 2011

Controle da Cor IX on November 16th, 2011

Visualizar perfil de Marcos  Anghinoni no LinkedIn