SELLERINK BLOG
26fev/13

SOLUÇÃO DE FONTE – BALANÇO ÁGUA-TINTA

Em vários posts falamos sobre solução de molhagem (ou solução de molha, solução de fonte), importante insumo na impressão offset e fundamental na qualidade do impresso.

Hoje vamos abordar a relação da solução de fonte com a tinta e as principais características desse interlacionamento.

Solução de Molhagem – Tinta

A impressão offset depende do equilíbrio entre a quantidade de água e a quantidade de tinta alimentadas. O primeiro quesito é que o sistema produza emulsão estável de água em tinta; o segundo é que não ocorra emulsão de tinta em água. A emulsão controlada é desejável visto que, se a tinta for completamente resistente à água, haverá limitação na transferência da tinta da chapa para a blanqueta e afinamento de ponto. Entretanto, a quantidade de água dispersa na tinta deve permanecer constante, caso contrário ocorrerá tingimento, escumação e acúmulo. Uma boa tinta deve admitir cerca de 10% a 20% de água emulsionada; nestas condições, a tinta distribui e transfere bem na rolaria e desta para a chapa, para a blanqueta e para o papel.

Imagem1

Os dois principais ingredientes da solução de molhagem são a goma dessensibilizante (goma-arábica) e um ácido (ácido fosfórico). O ácido converte a goma em ácido livre contendo grupos carboxílicos, responsáveis pela adsorção da goma ao metal. Além disso, o ácido também tem propriedades dessensibilizantes. A quantidade de ácido deve ser suficiente para converter o máximo de goma-arábica em ácido arábico livre. Além desse ponto, o excesso de ácido pode comprometer a secagem das tintas formuladas com óleos secativos.

Cerca de 40% da solução de molhagem que umedece a chapa é transferida para o sistema de entintamento e é distribuída de modo não-uniforme sobre os rolos distribuidores. Parte da solução chega a alcançar o tinteiro da impressora e, a parcela não evaporada, mistura-se com a tinta, reduzindo o tack e aumentando a viscosidade; ambos os efeitos prejudicam a distribuição e a transferência da tinta.

Na rolaria, a solução é incorporada à tinta na forma de gotículas. Esse processo é chamado de emulsão água–tinta. Visto que a distribuição da solução no sistema de tintagem não é uniforme, pode ocorrer diferenças localizadas de tack e viscosidade da tinta. Quanto maior o tack da tinta, menor o efeito do emulsionamento. Quando o filme de tinta é dividido entre as superfícies dos rolos, as gotas de solução são expostas, prejudicando a transferência.

A inter-relação tinta–água na impressora é uma função dinâmica que depende do mecanismo de divisão dos filmes de água e tinta. Devido à elevada coesão das tintas, a divisão sempre ocorre no filme de água, evitando a transferência da tinta para as áreas de contragrafismo da chapa e garantindo a formação de um filme contínuo de água naquelas áreas. Portanto, só a umectação não é suficiente para entender o fenômeno; é necessário considerar a coesão e a transferência da tinta.

Balanço Água – Tinta

Cada trabalho tem o seu próprio ponto de equilíbrio entre a quantidade de tinta e a quantidade de solução de molhagem necessários. Existe um estreito intervalo no qual a tinta e a solução se inter-relacionam de modo estável. A falta de água é facilmente percebida, visto que ocorre entupimento de pontos nas áreas de sombra (seco); entretanto, o excesso de solução não é sempre facilmente percebido a menos que seja exagerado. Um pequeno excesso causa emulsão, atrasa a secagem da tinta, reduz o brilho e a resistência à abrasão do impresso. Portanto, não se deve usar mais do que a quantidade absolutamente necessária de tinta para obter a saturação desejada, e a quantidade absolutamente necessária de solução de molhagem para manter limpas as áreas de contragrafismo da chapa.

Visto não existirem parâmetros ou instrumentos para medir as quantidades de tinta e de água alimentadas no sistema de impressão, mas apenas a habilidade e a experiência dos impressores, recomenda-se o procedimento abaixo no acerto de cada trabalho:

• zerar o tinteiro ao final de cada trabalho;

• colocar a tinta no tinteiro até o nível recomendado no manual de operação da impressora;

• girar o rolo do tinteiro e fechar os parafusos até que o rolo pareça limpo (sem encostar a faca no rolo do tinteiro);

• abrir os parafusos uma volta e girar o rolo do tinteiro para verificar se o filme de tinta é uniforme por toda a extensão do rolo;

• acertar a catraca (ou a rotação) do rolo do tinteiro na posição central;

• acertar a catraca (ou a rotação) do rolo da banheira na posição 1/4 do máximo;

• verificar as pressões dos rolos dos sistemas de molhagem e tintagem;

• começar a impressão com pouca tinta e pouca água;

• aumentar alternadamente água e tinta, em pequenos incrementos, até obter a saturação desejada;

• durante a impressão, se o impresso parecer lavado, tentar sempre reduzir a alimentação de solução de molhagem antes de aumentar a alimentação de tinta;

• procurar sempre a menor quantidade de tinta necessária para alcançar a densidade desejada, e a mínima quantidade de solução de molhagem necessária para manter  limpas as áreas de contragrafismo da chapa.

Resistência à Abrasão

As tintas absorvem cerca de 25% a 40% de solução de molhagem durante a impressão. Na impressão de suportes não-absorventes essa solução não é absorvida pelo suporte; a água evapora e deixa os demais componentes concentrados na tinta. Algumas soluções contém glicerina, poliglicóis, ferrocianeto ou substitutos do álcool não-voláteis que impedem a secagem das tintas. Todos esses fenômenos prejudicam a ancoragem da tinta no suporte e sujeitam o filme de tinta à abrasão.

Solução de Molhagem – Chapa

O propósito da solução de molhagem é evitar a presença de tinta nas áreas de contragrafismo da chapa; a molhagem deve ser contínua para evitar que essas áreas se tornem sensibilizadas, caso contrário ocorrerá velatura.

O isopropanol pode reagir com a camada fotossensível da chapa.

As chapas que exigem limpeza freqüente indicam algum tipo de problema, principalmente relacionado ao pH, à condutividade ou à concentração de goma da solução de molhagem.

Continuaremos a publicar matérias técnicas sobre solução de molha  e a inter-relação com a tinta na impressão offset. Estamos também acompanhamento a tendência da eliminação ou diminuição do volume de isopropanol na solução. Para o sucesso deste programa, a tinta tem papel fundamental e a Sellerink já desenvolveu produtos adequados ao uso de solução de fonte sem álcool.

Comentários (2) Trackbacks (0)
  1. Bom dia a todos! Obrigado pela divulgação das Materias graficas, esta sendo muito util para quem esta iniciando contato com as mesmas.
    Obrigado,


Deixar um comentário


Sem trackbacks

Visualizar perfil de Marcos  Anghinoni no LinkedIn