SELLERINK BLOG
27fev/11

SOLUÇÃO DE FONTE (POST 2)

Fonte de Pesquisa: Portal das Artes Graficas - PAG (Portugal)ONT

E

No último dia 10, demos início a mais uma série em nosso Blog, SOLUÇÃO DE FONTE.

Teremos alguns posts nesta série totalmente voltados a desvendar todos os mistérios sobre a água de molhagem, solução de molha ou solução de fonte, apenas para citar os nomes mais conhecidos deste importante componente da impressão offset.

Estamos publicando hoje o segundo post da série. Procure colecionar todos, pois são posts interessantes e sequenciais. No final pretendemos publicar todos os posts em pdf, fechando assim um estudo completo e dinâmico sobre o tema.

icone portal das artes graficasNosso agradecimento especial ao PORTAL DAS ARTES GRAFICAS, de PORTUGUAL, que além de publicar os nossos posts nos presenteia com matérias especiais para divulgação. A fonte principal desta série foi publicada originalmente pelo PAG.

.

Composição da Solução de Molhagem (parte 1)

A maioria dos concentrados de solução de molhagem contém 4 ingredientes básicos: um ácido, um agente umectante, um condicionador de chapa e goma-arábica. A função do ácido é ajustar o pH da solução e manter as áreas de contragrafismo da chapa dessensibilizadas. A função do agente umectante (surfactante) é reduzir a tensão superficial e diminuir a quantidade total de água necessária para molhar a chapa. O condicionador de chapa minimiza a ação corrosiva do ácido sobre o alumínio, aumentando a vida da chapa. A goma-arábica é adsorvida nas áreas de contragrafismo da chapa evitando que esta aceite a tinta, além de protegê-la da umidade e do ataque químico durante as paradas da impressora.

Além da goma e do ácido, a solução de molhagem pode conter nitrato de magnésio (agente tampão e anticorrosivo), álcool (agente tensoativo), cloreto de cobalto (estimulador de secagem), ácido cítrico (reduz a sensibilidade da chapa), silicone (reduz a tensão superficial da água e auxilia no desprendimento da blanqueta) e outros produtos como: agentes fungicidas, bactericidas, antiespumantes etc.

A composição básica da solução de molhagem envolve água (dureza entre 8°dH e 15°dH), um sal tampão (para manter o pH na faixa de 4.5 a 5.5), álcool (na proporção de 5% a 20%), agente umectante (glicerina, glicóis, dextrina) e agentes bactericidas, fungicidas e algicidas. O nitrato de magnésio usado em excesso pode causar problemas com algumas tintas. A quantidade de concentrado a ser diluído em água depende da concentração de cada componente e da qualidade da água utilizada.

A Água

A água é uma das substâncias mais importantes, não apenas para a vida vegetal e animal, mas também em inúmeras aplicações industriais. Na indústria gráfica a água é utilizada nos processos fotomecânicos (reveladores fotográficos, banhos de fixação, camadas fotossensíveis das matrizes de impressão, soluções de revelação das chapas offset) e nos processos de impressão (solução de molhagem, tintas rotogravura e flexográficas) etc.

A água raramente é encontrada em seu estado puro. Geralmente contém compostos minerais dissociados (íons positivos e negativos). A água industrial pode conter gases dissolvidos (dióxido de carbono), sais (sódio, potássio, cálcio, magnésio) na forma de cloretos, sulfatos e carbonatos. A presença de íons de cálcio e magnésio dissolvidos em água conferem propriedades que a tornam “dura”; daí o termo dureza da água.

O carbonato de cálcio é considerado padrão na determinação da dureza da água (expressa em ppm). Por exemplo: uma amostra de água contendo 100 partes de CaCO3 por milhão de partes de água tem 100 ppm (≈ 100 mg/litro).

Dureza da água

A água de uso industrial não é pura visto conter minerais e compostos inorgânicos, em alguma extensão, que aumentam a sua dureza. A água dura é ineficiente para dissolver os sabões nos processos de lavagem. A dureza adequada depende do processo onde a água será utilizada e da sua dureza inicial. Em algumas situações, nenhum tratamento é necessário; em outras, a água precisa ser “amolecida” através de processos de destilação, deionização (desmineralização) ou osmose (passagem através de uma membrana semi-permeável).

Dependendo da concentração de carbonato de cálcio presente, a água é classificada desde muito mole até muito dura (ver tabela abaixo). A dureza da água é expressa em graus alemães (dH), ppm ou Mols/litro. Um grau alemão equivale a 10 mg de CaO por litro.

DUREZA AGUA ALEMA

.

Para uso na formulação da solução de molhagem, a água não deve ser nem muito dura e nem muito mole. Dureza acima de 500 ppm (alto teor de minerais) é imprópria para o processo ofsete e, neste caso, a água precisa ser desmineralizada. Dureza muito baixa também não é recomendável. A condição ideal encontra-se entre mole e média dureza (5°dH a 10°dH).

Quando a solução de molhagem é preparada com água muito dura, ocorre depósito de carbonato nos rolos do sistema de tintagem e estes rejeitam a tinta. Além da água, os íons cálcio podem ser provenientes do papel (alcalino) ou de certos pigmentos das tintas. Os íons cálcio reagem com os ácidos da solução de molhagem e formam sais insolúveis. Isto é evidenciado pelo aspecto leitoso da solução de molhagem que se manifesta algum tempo após o início da impressão. Além do carbonato de cálcio, a água pode conter carbonato de hidrogênio que exerce ação neutralizante sobre os ácidos da solução de molhagem e tende a aumentar o pH.

A água dura pejudica a operação normal da impressora ofFset, visto que ocorre interação com as tintas, causando a formação de sabões oleaginosos. Estes sabões têm afinidade tanto pela água quanto pela tinta, através das quais são depositados sobre as chapas, causando entupimento dos pontos de meio-tom e estrias de rolos. Em alguns casos, os problemas causados pela água dura podem ser superados utilizando-se concentrado de solução de molhagem especialmente formulado para diluição em água dura. Entretanto, é aconselhável destilar ou desmineralizar a água.

A dureza da água é expressa através da concentração de íons cálcio e magnésio, em termos de carbonato de cálcio equivalente, presentes na solução. Um método aproximado de avaliar a dureza da água é medir a sua condutividade.

Em certas situações, é mais importante conhecer a alcalinidade da água do que a sua dureza. Conforme o grau de alcalinidade, a água pode neutralizar o ácido da solução de molhagem. A alcalinidade da água pode ser avaliada do mesmo modo que a dureza, baseada na quantidade de carbonato de cálcio presente e expressa em ppm ou mg/l.

.

Como vocês perceberam esta é somente a primeira parte dos capítulos da série sobre composição da solução de fonte. Acompanhe os próximos posts da série com a continuidade.

.

Se você gostou, veja também...

ECO-FRIENDLY PRINTING - BIOQUÍMICOS on October 23rd, 2012

RadTech UV&EB 2010 on May 25th, 2010

A HELIOGRAFIA DE NIÉPCE on January 30th, 2011

Eco Friendly Printing (Post 3) on July 21st, 2010

Tintas e Impressos de Segurança (Post V) on June 16th, 2010

Comentários (1) Trackbacks (0)
  1. Fabio,

    Como vai você? Obrigado pelo contato e pelas observações.

    Estamos a sua disposição.

    Sds.

    Marcos Anghinoni


Deixar um comentário


Sem trackbacks

Visualizar perfil de Marcos  Anghinoni no LinkedIn