SELLERINK BLOG
16nov/11

Controle da Cor (Post 15)

Densitometria (parte 2)

Como prometido vamos continuar com o assunto Densitometria em mais este post. Desta vez vamos falar um pouco sobre a importância do uso do densitômetro, sua real necessidade.

Dentro da nossa série CONTROLE DA COR voltaremos a falar sobre densitometria mais adiante, em matérias relacionadas também a Spectrofotometria. Não deixem de acompanhar...

Porque usar um densitômetro?

Qualquer processo de impressão, dos mais simples trabalhos em preto somente até os mais complexos podem e devem se beneficiar do uso de um densitômetro.

Você pode administrar seu trabalho sem um equipamento deste, mas o seu produto final nunca terá a consistência e qualidade que pode ser obtida com o uso correto e profundo da densitometria.

O densitômetro fornece o elemento de controle, proporcionando-lhe informações que irão orientar as decisões que você terá que tomar quando for imprimir um trabalho.

Então o que faz um densitômetro, afinal?

O densitômetro de reflexão (objeto do nosso estudo) mede a luz refletida de uma superfície, geralmente papel. Há condições especiais para o processo de medição garantir a coerência entre diferentes modelos de densitômetro. A leitura que você tem a partir de um densitômetro, ao medir uma amostra é dada como valor de densidade. Este é um rácio entre a luz de uma amostra para um valor nulo ou zerado. O densitômetro mede a quantidade de luz que recebeu de uma amostra e exibe o resultado usando uma saída logarítmica. Isto tem várias conseqüências.

Uma delas é que os números que você obtem a partir de um densitômetro parecem corresponder aproximadamente ao que você vê. Além disso, os números de densidade são muito mais fáceisl de usar.

Outra conseqüência importante, é que o valor da densidade de uma amostra de tinta é aproximadamente proporcional a espessura física da tinta ou, em outras palavras, a espessura da película de tinta.

Usando essas leituras de densidade, outros elementos do processo de impressão, como definição do ponto, também podem ser derivadas. O processo de impressão consiste em tentar reproduzir a paleta infinita do mundo real no âmbito limitado da tinta sobre de papel. O processo de reprodução moderna converte os tons contínuos de fotografias em diferentes padrões de pontos para representar as diversas nuances do original e real. Esses mesmos padrões de pontos são encontrados em todo processo de reprodução offset. Eles aparecem no filme, nas chapas e na folha impresa.

Para um ideal controle de qualidade é essencial monitorar esses pontos em todo processo.

colorbarNa impressão, a maneira mais prática para fazer as medições densitométricas é usar um colorbar (barra de cores). Esta é uma imagem que é impressa geralmente na borda de fuga, que contém pontos para a correta medição das densidades de tinta em impressão chapada, e outros elementos de controle (como retículas e visão dos pontos). A colorbar tem uma seqüência repetitiva de áreas de medição e normalmente irá tentar repetir a seqüência toda em uma ou duas zonas-chave. O densitômetro, então, é usado para medir a densidade das áreas chapadas no processo de cores.

Quais são os valores que você deve esperar?

Normalmente, isto depende da tinta e do papel que você está usando, mas em teremos gerais podemos dizer que os números de densidade mais comuns são:

  • Preto: 1,50-1,70
  • Cyan: 1,35
  • Magenta: 1,30
  • Amarelo 1,00.

É importante a medição do trabalho ideal para você seguir os valores em toda impressão e descobrir quais são os valores aceitáveis de variação. Tente executar a mesma densidade para cada cor, dentro de uma tolerância que seja no máximo de 0,08 (você pode ser mais ou menos flexível com esta tolerância de acordo com o trabalho a ser executado), e criar um padrão conjunto de valores de densidade que você mantenha durante todo trabalho e acompanhe nas repetições.

As tolerâncias que você deve estabelecer não devem ser muito apertadas pois existe uma variação natural entre os valores de densidade quando o trabalho está em impressão. Uma boa demonstração desta variação é medir a mesmas amostras de cores em um colorbar de dez folhas diferentes, a cada intervalos de um minuto. Grave e anote os valores correspondentes a esta medição. Isto irá mostrar como a densidade varia naturalmente, sem nenhum ajuste para as chaves de tinta, água ou velocidade de imprensora.

Lembre-se, densidades de tinta chapada são proporcionais a espessura do filme de tinta impresso. Assim, de uma maneira muito direta, o controle da densidade controla também a quantidade de tinta que você está colocando no papel.

Se você gostou, veja também...

A HELIOGRAFIA DE NIÉPCE on January 30th, 2011

Controle da Cor IV on November 16th, 2011

O Nome das Cores on July 29th, 2010

Harmonia das Cores on September 7th, 2010

METALGRAFIA - ALIMENTOS ENLATADOS on September 3rd, 2012

Comentários (0) Trackbacks (1)

Deixar um comentário


Visualizar perfil de Marcos  Anghinoni no LinkedIn