SELLERINK BLOG
31ago/10

Eco Friendly Printing (Post 8)

Boomerang

Boomerang 1

Programa de reutilização e reciclagem de embalagens Sellerink. Boomerang é o nome dado a este programa, como o próprio nome sugere, embalagens que podem voltar a ser utilizadas e depois de sua vida útil bem explorada, podem ser recicladas sem causar qualquer dano ao meio ambiente.

A base do programa é o uso de embalagens de folha de flandres com capacidade para 20 kg de tintas.

Estas embalagens, se usadas com critério, podem ser reutilizadas para o mesmo fim por aproximadamente 12 vezes, gerando uma grande economia, principalmente para o meio ambiente.

Se pensarmos que cada embalagem Boomerang economiza 10 potes plásticos, então teremos uma economia de 120 potes plásticos, no melhor de sua utilização.

Em primeiro lugar a natureza agradece

Cada embalagem vazia de tinta (pote plástico) pesa aproximadamente 165 gramas. Se economizarmos 120 potes plásticos por embalagem Boomerang, chegaremos a aproximadamente 20 kg de plástico. Se usarmos como exemplo uma empresa gráfica que utiliza uma tonelada de tintas por mês, chegaremos a uma tonelada anual de plástico que não será descartado na natureza.

Apenas como lembrança... o plástico demora aproximadamente 450 anos para se decompor.

As embalagens Boomerang podem ser utilizadas manualmente ou com equipamento específico para bombeamento semi-automático, que a Sellerink chama de Sistema Boomerang.

Com um projeto personalizado e apropriado ao tamanho da empresa gráfica, o Sistema Boomerang pode, além de beneficiar o meio ambiente com o uso racional das embalagens, automatizar a alimentação dos tinteiros.

O que é reciclagem?

Reciclagem é um conjunto de técnicas que tem por finalidade aproveitar os detritos e reutilizá-los no ciclo de produção de que saíram.

É o resultado de uma série de atividades, pela quais materiais que se tornariam lixo, ou estão no lixo, são desviados, coletados, separados e processados para ser usados como matéria-prima na manufatura de novos produtos.

Reciclagem é um termo originalmente utilizado para indicar o reaproveitamento (ou a reutilização) de um polímero no mesmo processo em que, por alguma razão foi rejeitado.

Por que reciclar ?

A quantidade de lixo produzida diariamente por um ser humano é de aproximadamente 5 Kg. O Brasil produz aproximadamente 240.000 toneladas de lixo por dia. Quanto mais produtos industrializados, mais lixo é produzido, como embalagens, garrafas, etc.

Alguns tipos de lixo:

  • Doméstico (alimentos)
  • Industrial (carvão mineral, lixo químico, fumaças)
  • Agrícola (esterco, fertilizantes)
  • Hospitalar
  • Materiais Radioativos (indústria medicinal...)
  • Tecnológico (TV, rádios, computadores, celulares).

Em torno de 88% do lixo doméstico vai para o aterro sanitário. A fermentação produz dois produtos: o chorume e o gás metano.

Menos de 3% do lixo vai para as usinas de compostagem (adubo). Apenas 2% do lixo de todo o Brasil é reciclado!!

Por quê?

Porque reciclar é 15 vezes mais caro do que jogar o lixo em aterros. Nos países desenvolvidos como a França e Alemanha, a iniciativa privada é encarregada do processamento correto do lixo.

Fabricantes de embalagens são considerados responsáveis pelo destino do lixo e o consumidor  também tem que fazer sua parte. Por exemplo, quando uma pessoa vai comprar uma pilha nova, é preciso entregar a usada.

Uma garrafa plástica ou vidro pode levar 1 milhão de anos para se decompor. Uma lata de alumínio, de 80 a 100 anos. Porém todo esse material pode ser reaproveitado, transformando-se em novos produtos, embalagens ou matéria prima, sem perder as propriedades.

Reciclar metais

Os metais são materiais de elevada durabilidade, resistência mecânica e facilidade de conformação, sendo muito utilizados em equipamentos, estruturas e embalagens em geral.

Quanto à sua composição, os metais são classificados em dois grandes grupos: os ferrosos (compostos basicamente de ferro e aço) e os não-ferrosos. Essa divisão justifica-se pela grande predominância do uso dos metais à base de ferro, principalmente o aço.

Entre os metais não-ferrosos, destacam-se o alumínio, o cobre e suas ligas (como latão e o bronze), o chumbo, o níquel e o zinco. Os dois últimos, junto como o cromo e o estanho, são mais empregados na forma de ligas com outros metais, ou como revestimento depositado sobre metais, como, por exemplo, a folha-de-flandres usada na confecção das embalagens Boomerang da Sellerink.

A grande vantagem da reciclagem de metais é evitar as despesas da fase de redução do minério a metal. Essa fase envolve um alto consumo de energia, e requer transporte de grandes volumes de minério e instalações caras, destinadas à produção em grande escala.

Embora seja maior o interesse na reciclagem de metais não ferrosos, devido ao maior valor de sucata, o ferro e aço também despertam grande interesse, principalmente pelas usinas siderúrgicas e fundições.

A sucata é matéria-prima das empresas produtoras de aço que não contam com o processo de redução e que são responsáveis por cerca de 20% da produção nacional de aço. A sucata representa cerca de 40% do total de aço consumido no País, valor próximo aos valores de outros países como os Estados Unidos, onde atinge 50% do total da produção.

Ressalta-se que o Brasil exporta cerca de 40% da sua produção de aço.

É importante, ainda, observar que a sucata pode, sem maiores problemas, ser reciclada mesmo quando enferrujada. Sua reciclagem é também facilitada pela sua simples identificação e separação, principalmente no caso da sucata ferrosa, em que se empregam eletroímãs, devido às suas propriedades magnéticas. Através deste processo é possível retirar até 90% do metal ferroso existente no lixo.

.

Se você quiser saber mais sobre as embalagens Boomerang da Sellerink, consulte-nos. Faremos um projeto personalizado e adequado as suas necessidades.

Se você gostou, veja também...

Tintas e Impressos de Segurança (Post VII) on July 13th, 2010

PROGRAMA DE APOIO A PRODUÇÃO VERDE on February 23rd, 2011

COMO AS LATAS SÃO ENVASADAS? on February 8th, 2011

Controle da Cor (Post 12) on November 16th, 2011

A História da Indústria Gráfica (Post VIII) on July 5th, 2010

Visualizar perfil de Marcos  Anghinoni no LinkedIn