SELLERINK BLOG
16nov/11

Controle da Cor X

Então, mais uma série do nosso blog que chega ao post número 10.

Em Controle da Cor, vamos entrar agora na composição da tinta. E a primeira matéria-prima que elegemos para esta fase é o pigmento.

Vamos ter alguns posts (não sabemos ao certo ainda quantos) sobre pigmentos e depois vamos falar também sobre o veículo da tinta e depois sobre os aditivos. E assim completaremos a fase sobre a composição da tinta.

Vamos começar então...

PIGMENTO

Composição das tintas gráficas offset

pigmentUm pigmento é um material que muda a cor refletida ou transmitida da luz como resultado de comprimento de onda de absorção seletiva. Este processo físico difere da fluorescência , fosforescência, e outras formas de luminescência, em que o material emite luz.

Muitos materiais absorvem seletivamente determinados comprimentos de onda da luz. Historicamente os pigmentos foram escolhidos ou desenvolvidos com características especiais que o tornam ideais para a coloração de outras matérias. Um pigmento deve ter um alto poder de coloração. Deve ser estável no estado sólido à temperatura ambiente.

Para aplicações industriais, bem como nas artes, fixação e estabilidade são propriedades desejáveis. Pigmentos que não são permanentes são chamados fugitivos - pigmentos que se deterioram ao longo do tempo, ou com exposição à luz.

Tinta Sellerink em processo de fabricação
Tinta Sellerink em processo de fabricação

Os pigmentos são utilizados para colorir tintas , plásticos , tecidos , cosméticos , alimentos e outras matérias. A maioriados pigmentos utilizados na indústria são secos, apresentados geralmente em um pó muito fino . A este pó é adicionado um veículo, neutro ou incolor, responsável por manter o pigmento em suspensão no suporte aplicado e garantir a sua fixação - resumidamente falando.

.

.

.]

Aspectos físicos básicos

Spectro visível da luz
Spectro visível da luz

Pigmentos fazem com que as cores apareçam, porque refletem e ou absorvem seletivamente certos comprimentos de onda da luz. A luz branca é uma mistura de aproximadamente partes iguais do espectro visível da luz. Quando esta luz encontra um pigmento, alguns comprimentos de onda são absorvidos pelas ligações químicas e substituintes do pigmento, e outros são refletidos. Este novo espectro de luz refletido cria a aparência de uma cor .

O aparecimento das cores dos pigmentos está intimamente ligada à cor da fonte de luz. A luz solar tem uma alta temperatura de cor, e um espectro bastante uniforme, e é considerado um padrão de luz branca. Fontes artificiais de luz tendem a ter grandes picos em algumas partes do seu espectro, e vales profundos em outros. Vistos sob estas condições, pigmentos aparecerão em cores diferentes. (veja posts anteriores em Controle da Cor no nosso blog)

Espaços de cor usados para representar as cores numericamente devem especificar a sua fonte de luz. No espaço de cor CIE-Lab (artigo já publicado em nosso blog também) as medições, salvo indicação em contrário, são tomadas sob fonte de luz D65 ou Daylight 6500 k, que tem aproximadamente, a mesma temperatura de cor da luz solar.

Outras propriedades de cor, tais como saturação ou luminosidade, podem ser determinada por outras substâncias que acompanham os pigmentos na produção final, como por exemplo, a tinta offset.

Boa matéria não é? Vamos continuar com pigmentos nos próximos posts.

Obrigado e acompanhem que vai valer a pena !

Marcos Anghinoni - Diretor de Vendas

Se você gostou, veja também...

Metalgrafia (Post 6) on October 20th, 2010

Controle da Cor V on November 16th, 2011

Controle da Cor (Post 12) on November 16th, 2011

Eco Friendly Printing on June 6th, 2011

A História da Indústria Gráfica on May 23rd, 2010

Comentários (0) Trackbacks (0)

Sem comentários


Deixar um comentário


Sem trackbacks

Visualizar perfil de Marcos  Anghinoni no LinkedIn